Resenha #40: Perdida


Nome: Perdida
Páginas:364
Autor: Carina Rissi
Editora: Verus


Oiie, Tudo bom? 
Hoje o post vai sair um pouco tarde, eu sei mas eu estava viajando e vocês sabem como é corrido. Acabei o livro hoje e já vim correndo contar pra vocês a maravilha que esse livro é.


Sinopse:Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos... “Perdida” é uma história apaixonante com um ritmo intenso, que vai fazer você devorar até a última página.
Resenha: Bom, eu tenho esse livro desde janeiro mais ou menos mas ele sempre ficou quietinho sem me chamar, até que uns 4 meses atras uma amiga minha leu ele e começou a dizer o quanto ele era divo e eu, como não sou nada curiosa resolvi só agora que eu precisava ler, li mais da metade dele em menos de um dia mas tive que deixar pra terminar ele só hoje de noite por causa da viagem e tudo mais, enfim. É uma leitura rápida e super divertida. Já entrou pro meu top 10 logo no começo, o livro conta a história de Sofia, uma garota de metrópole, filha única de pais falecidos, vivendo em 2010, até que em uma certa festa ela derruba o telefone na privada e puf, tudo muda, de uma hora pra outra Sofia se vê dois séculos atrás, vivendo uma experiência completamente nova. 
Uma das coisas que mais me chamou atenção logo de inicio é que a Carina não relatou os escravos que ainda viviam em 1830 (época da história) como tais, ela relatou a parte boa e encantadora que nossa pais vivia nesse século. Eu nunca curti muito literatura antiga, sempre achei que ler livros com histórias de épocas atrás seria chato mas essa mistura que Carina fez me encantou por completo. Durante a história posso dizer que passei por alguns fatos que me faziam querer pular no pescoço da nossa querida protagonista, confesso que chorar eu não chorei mas que deu vontade em algumas partes deu, aquela expectativa maluca pra saber o que ia acontecer depois de certas cenas me enchiam os olhos de água. Enfim vamos contar a parte boa em que o final da história é incrivelmente maravilhoso, claro que o segundo livro já é muito esperado pelo minha pessoa que está louca por uma livraria perto que possa comprar, controle-se Millena, controle-se. 
Sofia passa por momentos engraçados em que ela mesma se mete em enrascadas mas no final ela da um jeito de sair. Ver os costumes da época comparados com os costumes de hoje me deixou pensando se não era muito mais legal aqueles vestidos, os modos, as cidades, os jeitos de falar, tudo isso me encanta bastante, aí eu falei isso e me perguntaram se eu não sentiria falta do celular, bom se eu fosse como Sofia, mandada do nada para o século retrasado, provavelmente sim, mas se eu nascesse lá, visse e nunca tivesse contato, não, afinal eu sentiria falta como se eu nunca teria visto. Em todo caso queria muito viver um pouquinho daquela época, é fascinante. Ao final de tudo conclui que ter uma fada madrinha também não seria de todo mal, afinal ela trouxe Ian para Sofia não é mesmo hehehehe. Ian é um cavalheiro extremamente educado e recatado que resgata Sofia assim que ela chega a sua própria cidade duzentos anos antes, um cara maravilhosamente lindo, segundo descrições de Carina, hehehehe. Elisa, a irmã fofa de Ian é uma personagem que apesar de aparecer pouco, deixa muita gente suspirando por sua fofura, uma garota de 16 anos que desde o primeiro instante soube que Sofia era a mulher ideal para o irmão. Quero parabenizar e agradecer a Carina pela escrita, por me fazer viajar tanto nesse livro, me levando para uma época que sempre fui apaixonada, estou louca pelo resto da série.
E este livro merece...

Chegamos ao fim mas eu vejo vocês logo, quero postar mais um hoje ainda. Bjs 

Nenhum comentário :

Postar um comentário