Resenha #24: A Culpa é Das Estrelas- Filme

Nome: A Culpa é das Estrelas
Duração: 126
Roteirista: John Green, Michael H. Weber, Scott Neustadter
Produzido por: 20th Century Fox







Sinopse: Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Resenha: O que falar? Como descrever... Assisti o filme na noite anterior e até agora estou tentando arrumar palavras para descrever perfeitamente o filme. O livro já me fez chorar horrores imagina visualizar todas aquelas cenas que por muito tempo era só na imaginação, saí do filme obviamente chorando e não me envergonho em dizer, afinal o filme é lindo. Para quem está lendo isso e já viu o filme porem ainda não leu o livro não se iluda achando que o filme mostrou o livro todo, várias partes que eu amei no livro não entraram pro filme o que deixou-o meio desfalcado pra quem já sabia da história real. Alguns personagens fugiram bastante do que eu imaginava mais foi perfeito, não posso reclamar do trabalho incrível que John Green fez tanto no livro quanto no filme, ele foi simplesmente um ótimo escritor e gostaria de ter visto ele atuando. Enquanto escrevia isso tentava descobrir palavras pra descrever mais não acho, perfeito é muito clichê, espetacular é pouco, lindo é feio...
"Alguns infinitos são maiores que outros"
 "Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: Gradativamente e de repente, de uma hora pra outra"
Assisti ao filme com a minha família, mãe, irmã e padrasto, saímos todos um tanto quanto estasiados, o filme deixa um ar de emoção muito grande e querendo ou não ficamos todos um pouco emocionados com a história maravilhosa de Hazel e Gus.
Conversei com a minha família depois do filme e nós elegemos 4 partes preferidas
1º Quando a Hazel estava conversando com os país na cozinha pois não queria frequentar o grupo de apoio (Minha irmã)
2º Quando Hazel e Gus se conheceram (Minha mãe)
3º Quando o Gus admite ser apaixonado por Hazel em Amsterdã (Eu)
4º Quando Hazel explica a questão dos infinitos entre 0 e 1(Padrasto)

Nenhum comentário :

Postar um comentário